© 2015/2018  Supernova Digital por Vânia Caparroz

Rua General Eldes de Souza Guedes 63 Z- Vila Sônia - Morumbi/SP

Marque sua consulta pelo WhatsApp 11 9.8546-2800

crescendoeacontecendo@gmail.com

VENHA NOS VISITAR

  • Facebook - Grey Circle
  • Instagram - cinza Círculo
  • YouTube - Grey Circle
  • Google+ - Grey Circle

Pais e mães devem evitar achar graça quando a criança falar um palavrão!

Sorrir estimula e incentiva ainda mais esse comportamento, segundo pedagoga. Confira orientações.

Você está com sua criança em algum local e, sem mais nem menos, ela solta um palavrão e logo na frente de outras pessoas. Entre a surpresa e a vergonha do momento, você repreende a criança e até a ameaça com algum castigo caso isso aconteça novamente. Existem estratégias que podem ajudar a criança a perder o interesse em utilizar essas palavras inadequadas. Uma delas, segunda a coordenadora pedagógica do Colégio Evolve, Lisley Amado, é evitar achar graça e sorrir quando a criança falar um palavrão.

"Muitos pais e mães cometem o erro de achar 'engraçadinho' a criança falar um palavrão. O problema é que, quando sorriem, estimulam e incentivam ainda mais esse comportamento", opina.

Na avaliação da psicóloga e psicopedagoga clínica Cynthia Wood, muitas vezes a criança fala um palavrão para chamar a atenção dos pais e mães e, quanto mais estes a retrucam, mais a criança aumenta a quantidade de palavrões na tentativa de provocar. "Neste caso, tanto pais quanto mães devem verificar o porquê disso estar acontecendo", observa.

O que fazer quando sua criança fala um palavrão pela primeira vez ou não abandona esse hábito de forma alguma?

Evite repressões, exaltações ou broncas se a criança soltar um palavrão

Para a coordenadora pedagógica do Colégio Evolve, Lisley Amado, quando a criança falar algum palavrão pela primeira vez provavelmente ela estará apenas reproduzindo a palavra que escutou, ou por imitação ou por não entender o significado, usando-a de maneira intencional.

Um exemplo claro disso é ela escutar, como, por exemplo, os pais e mães xingarem alguém no trânsito e associar aquele momento ao ato de dirigir um carro. Então, quando ela ver alguém dirigindo irá reproduzir a palavra.

"Diante de situações como essas devemos ignorar o palavrão, porque provavelmente a criança irá perder o interesse por esse vocabulário. E devemos evitar repressões, exaltações ou broncas, pois isso só reforçará o interesse dela em continuar a utilizar essa palavra", afirma.


Criança entende o riso de pais e mães como aprovação

Ainda de acordo com Lisley Amado, pais e mães devem evitar achar graça e sorrir quando a criança soltar um palavrão. "Muitos pais e mães cometem o erro de achar 'engraçadinho' a criança falar um palavrão. O problema é que, quando sorriem, ambos estimulam e incentivam ainda mais esse comportamento", avalia.

Isso porque, nesse caso, a criança pode entender o riso como aprovação. "Quando alguém ri do que ela fala ou faz, a criança entende isso como positivo e provavelmente repetirá o comportamento", reforça a psicóloga Cynthia Wood.

Pais e mães devem explicar que aquela palavra não é legal

Cynthia avalia que, de modo geral, a criança ouve algum adulto xingando ou até um amiguinho e reproduz o palavrão muitas vezes sem saber o significado. Nestes casos, pais e mães devem perguntar o porquê dela estar falando a tal palavra. "Muitas vezes essa criança não compreende o que está dizendo e os pais e mães devem explicar que aquilo não é legal, que ofende as pessoas", recomenda.

A criança disse um palavrão? Procure manter a calma!

Você é daquelas ou daqueles que fica brava toda vez que a criança diz um palavrão? O mais recomendável nesses casos é controlar as emoções! Até porque, reforça a pedagoga Lisley Amado, se pais e mães se demonstram irritados e nervosos nessas horas, a criança percebe que causa um 'efeito emocional' e irá utilizar o palavrão cada vez mais para chamar a atenção para si mesma.

"Mantenha a maior calma possível, não deixe transparecer emoções e explique que aquela palavra não deve ser falada, que seu uso não é adequado. Caso a criança tenha aprendido a palavra e a utiliza sem sentido, por exemplo, cantarolando pela casa, podemos usar outra estratégia e tentar substituí-la por uma palavra engraçada e divertida", ressalta.

O melhor "castigo" é fazer a criança pensar sobre suas atitudes

Uma maneira de 'disciplinar' a criança em situações assim é tirar algo que ela goste (um jogo de videogame, por exemplo) para que esse ato possibilite a reflexão sobre seu comportamento, deixando claro que ela já foi avisada que não deverá usar essas palavras inadequadas e que esse comportamento não será mais admitido.

"O ideal é fazê-la pensar sobre suas atitudes, explicando de maneira clara que esses palavrões ofendem, incomodam e são desrespeitosas", afirma a coordenadora pedagógica Lisley Amado.

A recomendação de Cynthia é combinar com a criança previamente que, se ela falar palavrão mesmo sabendo que não é o correto, você vai deixá-la sem jogar seu jogo favorito ou assistir a um desenho que gosta muito naquele dia em que abusou dos palavrões. "A criança sentirá que seus atos têm consequências e que não foi tão divertido falar o que não se pode e em troca deixar de fazer o que gosta", diz.

Não devemos explicar o significado dos palavrões às crianças pequenas

Para as crianças pequenas, o significado do palavrão é muito abstrato e, na maioria das vezes, elas não entenderão o que estão dizendo, mesmo utilizando o palavrão em situações que fazem sentido ou sem saber o significado da expressão. "Já para as crianças mais velhas, entre 7 ou 8 anos, já é possível transformar esse momento em aprendizado, em combinados ou regrinhas de convivência. Pode-se também criar um vocabulário para substituir a palavra inapropriada", recomenda Lisley.

Criança pode adquirir esse vocabulário por volta dos dois anos

A criança pode adquirir esse vocabulário mais chulo desde que começa a falar, por volta dos dois anos, e o que irá definir esse momento será o contato dela com outras pessoas que falam o palavrão.

"Geralmente crianças de 2 anos e meio ou três já aprendem a reproduzir algum palavrão. Na verdade, a criança começou a falar frases mais elaboradas e o palavrão já começa a aparecer. Por este motivo, os pais e mães devem estar muito atentos ao que falam perto delas porque reproduzirão tudo o que ouvem", opina a psicóloga e psicopedagoga clínica Cynthia Wood.

Pais e mães não devem afastar a criança de alguém que fala palavrão

Para Lisley, pais e mães podem pedir à pessoa que evite esse vocabulário chulo sem privar a criança do convívio de algum adulto ou de algum ambiente. "Privar a criança de experiências e relacionamentos na tentativa de isolá-la de perigos ou vivências negativas apenas prejudica o desenvolvimento de suas habilidades para lidar com essas situações. O ideal é deixar bem claro as regras e limites e dar o exemplo", reforça Cynthia.

Evite repressões, exaltações ou broncas se a criança soltar um palavrão

Para a coordenadora pedagógica do Colégio Evolve, Lisley Amado, quando a criança falar algum palavrão pela primeira vez provavelmente ela estará apenas reproduzindo a palavra que escutou, ou por imitação ou por não entender o significado, usando-a de maneira intencional.

Um exemplo claro disso é ela escutar, como, por exemplo, os pais e mães xingarem alguém no trânsito e associar aquele momento ao ato de dirigir um carro. Então, quando ela ver alguém dirigindo irá reproduzir a palavra.

"Diante de situações como essas devemos ignorar o palavrão, porque provavelmente a criança irá perder o interesse por esse vocabulário. E devemos evitar repressões, exaltações ou broncas, pois isso só reforçará o interesse dela em continuar a utilizar essa palavra", afirma.

 

 

Veja o artigo original clicando aqui.

Please reload

Destaques

Quer explicar política e igualdade para seu filho? Literatura ajuda!

1/10
Please reload

Posts Recentes
Please reload

Arquivo
Please reload

Siga a gente
  • Facebook Basic Square
  • Google+ Basic Square