© 2015/2018  Supernova Digital por Vânia Caparroz

Rua General Eldes de Souza Guedes 63 Z- Vila Sônia - Morumbi/SP

Marque sua consulta pelo WhatsApp 11 9.8546-2800

crescendoeacontecendo@gmail.com

VENHA NOS VISITAR

  • Facebook - Grey Circle
  • Instagram - cinza Círculo
  • YouTube - Grey Circle
  • Google+ - Grey Circle

10 dúvidas sobre o tempo que seu filho pode ficar diante da TV

A Academia Americana de Pediatria (AAP) defende que crianças com menos de 2 anos não deveriam ser expostas à TV e, acima disso, até os 5 anos, podem ficar no máximo uma hora ao dia.

 

O dado é de 2013: 90% das crianças assistem TV todos os dias. A constatação é de uma pesquisa divulgada em novembro do mesmo ano pelo Instituto Ipsos, que fez 2.500 entrevistas em várias capitais brasileiras. A Academia Americana de Pediatria (AAP) defende que crianças com menos de 2 anos não deveriam ser expostas à TV e, acima disso, até os 5 anos, podem ficar no máximo uma hora ao dia.

O que, então, os pais devem fazer? Pode colocar o aparelho no quarto das crianças? TV em excesso faz mal à saúde? Para o pediatraMoises Chencinski, autor do livro 'Gerar e nascer - um canto de amor e aconchego' (2008), tudo em excesso é prejudicial e assistir televisão não foge a essa regra.

Moises relata ainda que problemas na atenção, no aprendizado e o sobrepeso podem ser algumas das consequências mais comuns no que diz respeito ao tempo de exposição dos pequenos diante da TV. 'Quando a criança come e não presta atenção no que e no quanto está comendo, são grandes as chances de desequilíbrio alimentar, gerando, não raro, problemas posteriores associados ao apetite', ressalta o especialista.

Proibir, então, é a melhor alternativa? 'Proibir nunca é o ideal', defende o pediatra. O mais recomendado é que os pais possam se programar melhor para suprir seus filhos do contato, do vínculo e da atenção tão necessárias na fase de formação da criança. 'Brincar com eles, contar histórias, desenhar, cantar ou dançar são atividades que geram muito mais interesse e desenvolvem mais a imaginação, bem como o lúdico e o vínculo familiar dessa criança em desenvolvimento', aconselha.

Para Renata Barrozo Moraes, pedagoga e coordenadora do Colégio Franciscano Nossa Senhora Aparecida, assistir a programas na TV em excesso pode ser prejudicial ao desenvolvimento da criança. Isso porque pode limitar a interação com outras pessoas, o que dificulta a construção de conceitos e valores importantes.

'Os pequenos aprendem e se desenvolvem interagindo com outras crianças e adultos que convivem com ela. Essa construção de valores só acontece quando há prática significativa por meio do convívio: a troca de opiniões, o ouvir, o respeito às diferenças, a construção de valores sociais, etc', opina Renata.

No entanto, ressalta Renata, não há receita ou tempo indeterminado para ver TV. 'A criança precisa ter tempo para brincar e interagir com os amiguinhos. A TV pode entrar na rotina da criança, mas desde que seja com moderação. É importante que a televisão não prejudique as outras atividades diárias como tarefas da escola, esportes, aulas extras, refeições em família, entre outras situações', opina a pedagoga.

Já a psicóloga e psicopedagoga, Cynthia Wood Passianotto, tem a mesma opinião da Academia Americana de Pediatria: a criança deve assistir, no máximo, a duas horas de TV por dia. 'Menores de dois anos nem deveriam assistir a TV', defende.

 

TV em excesso pode prejudicar rendimento escolar da criança

​Para a psicóloga e psicopedagoga, Cynthia Wood Passianotto, a TV em excesso pode fazer com que a criança tenha prejuízos escolares físicos e sociais. Nas aulas, os pequenos podem ter a capacidade de concentração reduzida e apresentarem ainda dificuldades na escrita e matemática.

"A criança que passa muito tempo em frente à TV se torna sedentária e come por ansiedade. Muitas vezes acaba com sobrepeso e baixa autoestima. Também tem prejuízos sociais como medo, ansiedade, agressão e depressão devido às emoções negativas passadas pelos programas assistidos", explica.

Excesso de TV pode causar problemas emocionais

​​Cynthia destaca que a TV, assim como os outros eletrônicos - computadores, tabletes e celulares -, não devem ser usados em excesso por crianças e adolescentes. 
"Realmente causa danos e faz com que os mesmos não tenham concentração e foco nas atividades do dia a dia. Com isso, tornam-se cada vez mais introspectivos e com problemas emocionais, como impulsividade, confusão mental, impaciência e irritação", esclarece a especialista.

 

Aparelho de TV no quarto deve ser evitado

​​Para Cynthia Passianotto, o aparelho deve ser evitado no quarto das crianças, pois os pais não conseguem controlar o que estão assistindo e por quanto tempo. Além disso, não é possível saber quais programas os pequenos estão assistindo e se são apropriados à faixa etária. 

"Também causa perda de sono, problemas para dormir e, muitas vezes, a criança acaba apresentando pesadelos. Tal situação resulta ainda em outro problema: os filhos dormem um número de horas insuficiente para o crescimento saudável, o que também os deixam mais irritadas no dia seguinte", opina.

 

Pais devem assistir aos programas que os filhos assistem

​"Os pais devem assistir aos programas que seus filhos assistem para ver se é adequado a idade. Além disso, comente e discuta sobre o assunto fazendo com que a criança entenda o que está por trás da história e obtenha o próprio senso crítico", pontua a psicóloga e psicopedagoga Cynthia Wood Passianotto.

 

 

 

Please reload

Destaques

Quer explicar política e igualdade para seu filho? Literatura ajuda!

1/10
Please reload

Posts Recentes
Please reload

Arquivo
Please reload

Siga a gente
  • Facebook Basic Square
  • Google+ Basic Square